segunda-feira, 20 de agosto de 2012

A Dor da Verdade



Ao reencontrá-lo numa festa, ao lado de outra, não era mais a separação que doía, mas a consciência de que ele nunca a amara.



(*) IMAGEM: Google

25 comentários:

  1. É triste... Mas acontece... Na verdade é uma forma de libertação... Abraços, amiga...

    ResponderExcluir
  2. Sempre nos fazendo pensar... Beijos, Dolce Vita!

    ResponderExcluir
  3. Na resposta ao teu comentário no meu blogue perguntava se "Dolce Vita" era de cinema; já confirmei!
    Somos dois:)!
    A verdade dói; mas é preferível que a mais "meiga" das mentiras:)!
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Ai, e isso dói mesmo!Excelente conto,Vita!Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  5. Cuanmto dolor en unas pocas palabras, bien expresado.Un abrazo

    ResponderExcluir
  6. Concordo! A maior dor é a segunda; a primeira passa a não existir!

    bjs
    Tais

    ResponderExcluir
  7. Essa dói na alma.
    Querida dia 23 é meu niver e irei fazer uma festinha virtual no Confissionarium para os amigos, não deixe de ir para comer e beber virtualmente (que tristeza, bem poderia ser real...rss) com os amigos.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. As vezes tem que ver para a ficha cair.

    ResponderExcluir
  9. Curto contos de todas as dimensões!
    Li, curti, e vou voltar. Muito bom!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. Amei, este foi como música do Chico ou como uma faca nas costas, todos nós sabemos o que é isso! bjs

    ResponderExcluir
  11. Na minha terra diriamos: lasou-se! kkkk

    ResponderExcluir
  12. Dói mesmo...mas ferida só se cura, arrancando o penso rápido!
    Depois...vem a cicatrização!
    Mil beijos
    Graça

    ResponderExcluir
  13. passo para desejar um bom fim de semana a uma colga cinéfila:)!
    Bjo

    ResponderExcluir
  14. Hermoso escrito!! mis saludos desde Argentina!

    http://pensamientosenelahora.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  15. Talvez seja apenas uma dança
    o amor ainda nem começou
    no teu poema - sim
    o amor terminou.

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  16. Então foi melhor assim...
    Saudade de vir aqui! MATEI! Beijo da amiga Ivany

    ResponderExcluir
  17. Que dor que não tem fim.
    Os olhos não mentem e sentem.
    Abraços amiga.
    Imbativel nestes contos.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  18. É verdade, essa conscientização dói demais! Uma pena quando há engano nas relaçoes pessoais, mentiras desnecessárias!
    Melhor é viver a verdade, sempre!

    ResponderExcluir
  19. Seu blogue é muito bom, Dolce Vita!
    Não consigo parar de ler os seus pequenos contos. Adorei!
    Parabéns!

    ResponderExcluir